Florianópolis coloca PM contra estudantes. Cadê o prefeito?

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “Professora batendo em aluno“, posted with vodpod


Trata-se de uma manifestação dos estudantes de Florianópolis (SC) contra o aumento das passagens de ônibus para R$ 2,95.
Detalhe: em nenhum momento a reportagem da TV Record fala que o decreto que oficializa o aumento da passagem é assinado pelo prefeito Dário Berger (PMDB).

Talvez a melhor forma de protestar contra o aumento das passagens seria os estudantes fazerem uma “greve de ônibus”: ficar um mês sem utilizar os ônibus…

Curiosidade: será que a atuação da PM em defesa do prefeito está relacionado com a denúncia abaixo:
>11/03/2009 – Denúncia: Em vídeo, tenente-coronel Newton pede votos para Dário Berger

Coitados dos estudantes. Se ficarem, os ônibus do prefeito os pegam. Se correrem, a PM amiga do prefeito os pegam.

Professora batendo em aluno


O vídeo mostra uma professora agredindo um aluno de 13 anos. Isto aconteceu em uma escola pública da cidade de Houston, no estado norte americano do Texas. As imagens foram gravadas por um telefone celular de outro estudante.A professora foi demitida e responderá criminalmente pelas agressões contra o aluno…Se fosse no Brasil, a professorinha estaria dando entrevistas no Jornal Nacional e no Fantástico e falando das maravilhas de sua “pedagogia” na educação das crianças brasileiras.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Curiosidade:
1) Em 11/05, o vídeo foi entregue por um pai de aluno à TV FOX (EUA), que divulgou a notícia “Professora é demitida após ser flagrada batendo em aluno“. Note que os alunos pensam tratar de uma “brincadeira” da professora (”pedagogia inusitada”, nas palavras do comentarista policial da TV Record)… Além disso, no final do vídeo é possível ver que tinham outros “adultos” na sala de aula…
2) A TV Record divulgou a reportagem em 14/05: “Professora espanca aluno em escola dos EUA“.
Mas veja como o “comentarista policial” fica todo receoso na hora de qualificar a professorinha… ele não a chama de bandida e nem de “diMaior”, como sempre faz quando o caso é de crianças ou adolescentes que praticam a agressão.

%d blogueiros gostam disto: